(Mulher inteligente)

 
Mulher inteligente
- © Lenise M. Resende -

Inúmeras vezes, escutei alguém dizer: "Você é muito inteligente para uma dona de casa!" Então, passei a maior parte da vida, exercendo a profissão certa pra mim - dona de casa.

É preciso inteligência para saber:
- que a roupa clara deve ser lavada separada da escura,
- que roupas atoalhadas devem ser lavadas em separado,
- como lavar tecidos delicados,
- como lavar roupas que largam tinta,
- como tirar manchas das roupas,
- como colocar roupas de molho,
- que há diferenças entre tipos e marcas de sabão,
- que há diferenças entre os alvejantes e os amaciantes,
- que a quantidade de sabão em pó na máquina de lavar precisa ser dosada,
- como torcer roupas lavadas,
- que a roupa lavada precisa ser bem colocada no varal,
- que a roupa retirada do varal deve ser guardada dobrada ou em cabide (camisas),
- que lavar e passar roupa parece simples mas, não é, se considerarmos que nossas roupas precisam ter durabilidade, estar limpas, bem passadas e, se possível, cheirosas.

Uma pessoa que cozinhou durante vinte anos sem gostar, dificilmente fará uma boa comida. Até para fritar um ovo, é preciso gostar. Se eu pegar a frigideira resmungando e o óleo me lamentando, quando quebrar o ovo, vai ser com mão de pugilista pronto a desferir um golpe fatal no adversário.

Tudo será diferente se, calmamente, eu escolher a frigideira. Dosar a quantidade de óleo, deixando o vasilhame por perto (para o caso de ser novamente necessário). Quebrar os ovos em um prato fundo com cuidado (há sempre a possibilidade de haver um ovo estragado). E, depois, colocá-los na frigideira, lentamente, para que se espalhem por igual no óleo. O fogo médio os deixará no ponto ideal para serem salgados, com bem dosadas pitadas de sal.

Quando estiverem prontos, deixo-os escorregarem da frigideira para uma travessa. E, ao usar o bom humor e a paciência, serei duplamente recompensada, ao comer um prato saboroso, sem estar preocupada com a hora de lavar a frigideira.

Ainda bem que essa profissão nunca me deixará desempregada - os filhos crescem e nascem os netos... E, quem quiser, pode guardar a receita acima no caderno de receitas - chama-se: "ovo frito amoroso" ou, se preferir, "amorovo".

(08 de março - Dia Internacional da Mulher)

*   *    *
TEXTOS RELACIONADOS

2 comentários:

Rafa disse...

Cara Lenise,

Meu nome é Rafa Lombardino e sou diretora da Word Awareness, Inc., uma rede de tradutores estabelecida na Califórnia, nos EUA. Encontrei seu nome e e-mail no site Nossos Autores e visitei seu site pessoal para conhecer melhor o seu trabalho.

O motivo pelo qual estou entrando em contato é para saber se você está interessada em participar de um blog que lançaremos no segundo trimestre de 2011 e cujo enfoque será de contos contemporâneos brasileiros traduzidos para o inglês.

Nossa proposta é levar ao público que não fala português um pouco da realidade brasileira vista pelos olhos de escritores da atualidade. Um exemplo de conto que gostaríamos de traduzir e publicar é "Mulher inteligente".

Pretendemos também trazer uma minibiografia do autor, com foto e link para contato e site pessoal, para os leitores interessados em entrar em contato direto com os autores para possível publicação em antologias internacionais e/ou teses sobre a literatura brasileira contemporânea.

Aguardamos sua resposta e indicação de um texto que gostaria de ver traduzido e publicado. Passaremos este primeiro trimestre traduzindo e preparando o material para podermos estrear o blog com um bom arquivo pronto, a ser publicado semanalmente.

Atenciosamente,
Rafa Lombardino, CT
Word Awareness, Inc.

English into Portuguese certified translator
American Translators Association (ATA)

Spanish/English Professional Certificate in
Translation and Interpreting UC San Diego Extension

Email: rlombardino@wordawareness.com
Site: http://www.wordawareness.com
Skype: wordawareness

T: (858) 200-5844
F: (866) 896-6120

P.O. Box 710099
Santee, CA 92072-0099

lenise-m-resende disse...

Dona de casa - A rainha do lar

No passado, o imperador romano era chamado de Dominus, que significa "senhor". Sua esposa, a imperatriz, era chamada de Domina, "senhora", que significa também "dona de casa".

Casa, em latim, é domus, da qual provêm dois verbos: "domesticar", isto é, trazer um animal para dentro de casa, e "domar", dominar, vencer, reinar.

Fonte: Dicas Etimológicas, Professor Gabriel Perissé